Saltar para o conteúdo principal da página

Entrevista a Luís Rocha, diretor geral do Dino Parque

24 de Janeiro 2024 | Notícias

«A construção de um parque temático dedicado aos dinossauros era um sonho antigo; é um projeto único e diferenciado, onde se combina na perfeição diversão e ciência.»

No âmbito de um projeto cofinanciado pelo COMPETE 2020, nasceu o Dino Parque da Lourinhã, estabelecendo-se como o maior museu ao ar livre em Portugal. Este parque temático dedicado à história dos dinossauros oferece uma experiência única. Com uma exposição que conta com 200 modelos de dinossauros e animais, cientificamente autênticos, o Dino Parque proporciona uma imersão fascinante nos momentos cruciais da história da Terra e da evolução da vida.

O destaque do Parque é o recentemente inaugurado Percurso Cenozoico – Idade do Gelo, acrescentando uma dimensão extra à viagem no tempo. Ao explorar seis percursos distintos, os visitantes têm a oportunidade de aprender sobre a incrível diversidade de dinossauros e animais pré-históricos que habitaram o planeta. O Dino Parque adota o conceito de “edutainment”, combinando entretenimento e educação para contribuir de forma divertida para o conhecimento das populações.

O que diferencia significativamente este parque são as 121 figuras em tamanho real, fabricadas em resina reforçada com fibra de vidro. Esta escolha de materiais confere resistência às condições atmosféricas adversas, garantindo que as réplicas permaneçam vibrantes e autênticas sob o sol, vento, chuva e neve.

Como nasceu o projeto Parque dos Dinossauros da Lourinhã?
A construção de um parque temático dedicado aos dinossauros era um sonho antigo da vila da Lourinhã, designada capital dos dinossauros, pela importância da mesma e dos concelhos vizinhos, a nível mundial, no que refere a achados de riqueza paleontológica, em particular do período do Jurássico superior.
Há 13 anos o município avançou com um concurso internacional para a construção do parque. A sociedade Parque dos Dinossauros da Lourinhã (PDL), que pertence ao grupo alemão Dinopark group, foi o parceiro certo para a aposta neste projeto, até pela sua experiência na construção e operação de um dino park na Alemanha, construído há 32 anos. Desde 2017 a PDL é gerida por administradores portugueses. O dino parque da Lourinhã abriu em fevereiro de 2018 e recebeu mais de 1.2 milhões de visitantes em menos de 6 anos.

Luis Rocha,
diretor geral do Dino Parque

Quais as principais motivações?
O Dino Parque é um projeto único e diferenciado, onde se combina na perfeição a diversão e a ciência ou o conhecimento, realizada ao vivo e diariamente no laboratório de preparação existente no parque. Um dos nossos principais lemas é “a ciência é divertida“, e que consiste em promover a ciência da paleontologia, incentivar o seu desenvolvimento, promover o trabalho que se realiza e que tem resultado na descoberta de varias novas espécies, e divulgar o facto da Lourinhã e concelhos vizinhos terem um património valioso, em muitos casos único no mundo, no que se refere a achados paleontológicos, tudo isto num ambiente onde aprender é divertido, sempre em família e em plena natureza.
Os investimentos posteriores em mais espaços e novas coleções de modelos, faz hoje com que o Dino Parque da Lourinhã seja um dos maiores museus ao ar-livre da Europa, dedicado a temática dos dinossauros e evolução da vida na terra.
Por outro lado, um dos grandes objetivos era de promover ou rejuvenescer o turismo para a vila e o concelho da Lourinhã, e em certa medida a região do Oeste, na sua afirmação como destino turístico, o que foi conseguido pelo número total de visitantes, incluindo cerca de 150.000 estrangeiro e 200.000 de escolas, mas também pela capacidade que o projeto teve de captar outros investimentos, incluindo diretos, e de contribuir para o desenvolvimento económico da região, dado que cerca de 70% dos custos da operação são realizados com empresas locais.

Quais foram os principais desafios com que se depararam no desenvolvimento do projeto?
Penso que o principal desafio que se apresentou num investimento foi garantir que era terminado no prazo concordado, e claro, dentro do orçamento estimado. E isso foi conseguido com o Dino Parque da Lourinhã, sendo necessário obviamente ter um controlo permanente sobre todas as áreas e vertentes do mesmo. Por outro lado, sempre foi um dos objetivos promover a economia local, e nesse sentido, procuramos encontrar na região os parceiros que pudessem colaborar com o parque para a nossa operação, o que felizmente foi conseguido para uma grande parte da mesma.

O outro desafio importante foi, e em certa medida continua a ser, a promoção do parque, dado a sua distância em relação aos centros urbanos, e nomeadamente no referente aos media. Comunicar implica um investimento considerável todos os anos. E por outro lado nem sempre se consegue despertar o interesse dos media, em particular no que se refere a noticias sobre descobertas de novas espécies ou o trabalho desenvolvido ao nível da ciência da paleontologia.

Os objetivos foram alcançados?
Os objetivos não só foram alcançados, como foram largamente ultrapassados, no que respeita a visitantes, satisfação dos mesmos (93% de satisfação geral), resultados financeiros e claro contributo para o desenvolvimento da região. na sua afirmação como destino turístico, mas também na captação de investimento, criação de emprego direto e indireto, exportações e desenvolvimento socioeconómico da região.
O dino parque da Lourinhã tem recebido vários prémios e distinções ao longo destes quase 6 anos desde a sua abertura, sendo de destacar o prémio 5 estremas regiões para parque temática na região de Lisboa e mais recentemente “escolha do consumidor” para a mesma região no referente a espaços de lazer e entretenimento. Alem de prémios atribuídos pelos nossos parceiros como por exemplo odisseias ou mesmo os ratings elevados em alguns dos principais avaliadores online como “trip advisor” ou Facebook, lembrando sempre que são os consumidores que decidem todos estes prémios, e não as entidades que os atribuem.
Por outro lado, a PDL, empresa gestora do parque, tem recebido, ano após ano, a distinção de PME de excelência e PME líder, o que confirma a qualidade da sua gestão. E também desde 2022 que recebe a certificação COTEC, o que confirma o valor da inovação no seu contributo para a ciência da paleontologia.

De entre os resultados alcançados, há algum que gostaria de destacar?
Acreditamos que todos os resultados alcançados são importantes, pois são determinantes para que o grupo continue a investir na Lourinhã, o que alias já está a acontecer com a abertura de um novo espaço de lazer e diversão já durante a primavera de 2024. Tal facto implica reforçar todos os objetivos a que o grupo se propôs desde o início do projeto dino parque, em particular a capacidade de atrair cada vez mais visitantes à vila, mas também à região, contribuindo também para o desenvolvimento socioecónomica da mesma, captação de outros investimentos diretos e indiretos e criação de emprego.
Mas gostaria de destacar também o papel do dino parque no que concerne ao contributo para a ciência da paleontologia. No âmbito do contrato de colaboração entre o dino parque e o GEAL/museu da Lourinhã, foram entregues quase 400.000 euros de contributo a esta última entidade, para que continue o excelente trabalho que tem sido realizado ao longo dos últimos 35 anos, ou seja, que se continue a fazer a ciência da paleontologia na Lourinhã, mas também em Portugal.
Fruto deste investimento, e do trabalho realizado no laboratório de preparação do dino parque, foram já descobertas 2 novas espécies de dinossauros, o que reforça o nosso orgulho pelo modelo de negócio que temos no dino parque, onde existem objetivos como empresa comercial, mas onde é possível tantos e tao importantes contributos para a vila, concelho, região e em particular para a ciência que está na base do nosso parque.

Apoio
O Parque dos Dinossauros da Lourinhã é cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Inovação Produtiva, envolvendo um investimento elegível FEDER de 3,5 milhões de euros o que resultou num incentivo FEDER de 2,1 milhões euros.

Links úteis
Website do Dino Parque

Última atualização a 24 de Janeiro 2024

Artigos relacionados

A carregar...