Saltar para o conteúdo principal da página

Dia Mundial do Cancro

2 de Fevereiro 2024 | Notícias

O Dia Mundial do Cancro que se celebra no dia 4 de fevereiro foi instituído pela União Internacional de Controlo do Cancro (UICC). Este dia destaca-se como uma iniciativa vital na abordagem a um dos maiores desafios em saúde pública. A Liga Portuguesa Contra o Cancro, membro integral da UICC desde 1983, desempenha um papel fundamental na promoção e participação ativa deste evento, cujo propósito é capacitar e unir a população na luta contra o cancro. A consciencialização, a educação e o estímulo à ação pessoal e coletiva são os pilares centrais do Dia Mundial do Cancro, visando não apenas sensibilizar, mas também inspirar a implementação de medidas concretas na prevenção e tratamento desta doença.

O COMPETE 2020 desempenhou um papel crucial na promoção da investigação científica e no desenvolvimento tecnológico em Portugal. No contexto da luta contra o cancro, os projetos cofinanciados pelo COMPETE 2020 têm desempenhado um papel significativo, contribuindo para importantes avanços na compreensão, diagnóstico e tratamento desta doença.

Conheça 5 projetos cofinanciados pelo COMPETE 2020.

O COMPETE 2020 apostou no reforço da investigação em oncologia, com o apoio a projetos de investigação translacional que procuram traduzir os avanços da investigação básica em aplicações práticas para o diagnóstico e tratamento do cancro.

Projetos que desempenham um papel fundamental na investigação e luta contra o cancro em Portugal, impulsionando avanços científicos e tecnológicos com um impacto direto na prevenção, diagnóstico e tratamento desta doença. Iniciativas que projetam Portugal na vanguarda da investigação médica e oferecem esperança através do progresso tangível na batalha contra o cancro.

Projetos COMPETE 2020

Nome do projeto: CANCEL_STEM

Cofinanciado pelo COMPETE 2020, o projeto CANCEL_STEM foi liderado pelo i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto, ao qual se juntaram 75 investigadores de 18 equipas de investigação portuguesas, com um objetivo comum: explorar novas formas de entender e combater o cancro.

O impacto clínico e social deste projeto traduz-se no desenvolvimento de estratégias preditivas e de controlo da progressão do cancro.

Pretende-se diminuir a recorrência do cancro, assim como melhorar a estratificação e tratamento dos doentes oncológicos.

No geral, o objetivo é colocar o projeto CANCEL_STEM no mapa internacional da investigação em células estaminais do cancro e torná-lo uma plataforma de referência científica e tecnológica nas redes europeias que trabalham sob este tema.

O projeto CANCEL_STEM foi cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Apoio à Investigação Científica e Tecnológica e contou com um investimento elegível de 2,5 milhões de euros e um incentivo FEDER de 1,9 milhões de euros.

Nome do projeto: 2BBone: Investigação portuguesa sobre o cancro ósseo

O projeto 2BBone visou o desenvolvimento de substitutos ósseos com porosidade controlada por manufaturação aditiva, na presença de várias biomoléculas, de forma a obter num só componente múltiplas funcionalidades.

Os desenvolvimentos projetados no 2BBone permitiram avanços significativos no fabrico de biomateriais multifuncionais para reparação/regeneração óssea e tratamento de cancro localizado por hipertermia, abrindo portas para desenvolvimentos futuros de scaffolds multicamada para regeneração de vários tipos de tecidos em simultâneo.

O projeto, promovido pela Universidade de Aveiro, contou com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do SAICT – Sistema de Apoio à Investigação Científica e Tecnológica, envolvendo um investimento elegível de 237 mil euros, o que resultou num incentivo FEDER de 201 mil euros.

Nome do projeto: LuCaS

Cofinanciado pelo COMPETE 2020, o projeto LuCaS concebeu uma metodologia não invasiva para o diagnóstico do cancro do pulmão. O projeto LUCAS, teve como objetivo tornar os sistemas de apoio à decisão mais objetivos e quantitativos, através de uma abordagem Radiomics para descrever e criar modelos preditivos relacionando fenótipos de imagens a assinaturas genómicas.

O projeto “LuCaS: Rastreio do cancro do pulmão – uma metodologia não invasiva para o diagnóstico precoce” conta com o cofinanciamento do COMPETE 2020 no âmbito do SAICT – Sistema de Apoio à Investigação Científica e Tecnológica, envolvendo um investimento elegível de 239 mil euros, o que resultou num incentivo FEDER de 203 mil euros.

Nome do projeto: ACTONP53

Os avanços na compreensão da patobiologia do cancro destacaram o papel crucial do p53 na iniciação, progressão e disseminação do tumor, tornando esta proteína um dos alvos mais promissores na terapêutica anticancerígena. Apesar dos avanços na descoberta de diversos agentes ativadores do p53, esses compostos ainda não estão disponíveis para uso clínico em doentes com cancro. Desta forma, são necessários novos agentes direcionados para o p53 com atividade antitumoral melhorada.

O projeto ACTONP53 permitiu a descoberta de novos ativadores das proteínas da família p53 com potência e seletividade melhoradas para a via da família da p53 e para as células cancerígenas.

O projeto ACTONP53 foi distinguido, em maio de 2019, com o prémio MED.IDEAS 2019 (categoria “Cancro”), destinado às ideias mais inovadoras na área da tecnologia médica.

O projeto é promovido pelo ICETA – Instituto de Ciências, Tecnologias e Agroambiente da Universidade do Porto e cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Apoio à Investigação Científica e Tecnológica (SAICT), envolvendo um investimento elegível de 195 mil euros, o que resultou num incentivo FEDER de 144 mil euros.

Nome do projeto: ColonCAD: Inovação no diagnóstico de cancro colorretal

O principal objetivo do projeto ColonCAD foi o desenvolvimento de uma plataforma tecnológica inteligente para deteção e classificação de sinais precoces de pólipos do cólon, através da análise e classificação das imagens retiradas em tempo real durante uma colonoscopia, disponibilizando aos médicos uma solução de apoio ao diagnóstico clínico.

Foi concebido um sistema CAD (Computer Aided Diagnosis) baseado em diferentes técnicas de Inteligência Artificial e Processamento e Análise de Imagem para classificar os pólipos.

O projeto ColonCAD foi cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistemas de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Empresarial – na vertente em copromoção – envolvendo um investimento elegível de cerca de 798 mil euros, o que resultou num incentivo FEDER de cerca de 566 mil euros.

Última atualização a 2 de Fevereiro 2024

Artigos relacionados

A carregar...