Saltar para o conteúdo principal da página

AEROS Constellation: Sinergias entre espaço e oceano

20 de Maio 2024 | Notícias

Portugal fortalece sua posição espacial com o projeto AEROS, desenvolvendo nanossatélites para monitorizar e valorizar os oceanos de forma sustentável.

Portugal está a reforçar a sua posição como nação espacial robusta com o projeto AEROS Constellation (AEROS), que visa desenvolver uma plataforma de nanossatélites para monitorizar e valorizar os oceanos de forma sustentável. Este projeto, alinhado com a agenda “Atlantic Interactions” e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, procura explorar as sinergias entre tecnologias espaciais e marinhas.

O consórcio, composto por empresas como Edisoft, Spin.Works e DST, universidades como a do Minho, do Algarve, Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e IST, e instituições como CEiiA e +Atlantic, trabalha em conjunto para desenvolver competências e tecnologias portuguesas. Parcerias com investigadores do MIT também aceleram a inovação e a internacionalização.

O projeto AEROS Constellation (AEROS) desenvolveu um nanossatélite como o precursor de uma futura constelação que pretende alavancar as sinergias científicas e económicas espaço/oceano.

Hélder Silva, responsável pelo projeto, refere: “Este projeto é formado por um consórcio de empresas portuguesas, institutos de investigação e universidades que desenvolveu tecnologias e competências portuguesas de monitorização e valorização do oceano, combinando o know-how nacional e internacional para a construção da constelação de nanossatélites AEROS.”

O AEROS é um sistema integrado de ativos e capacidades, incluindo plataformas existentes, melhoradas e novas, equipadas com sensores e tecnologias de ponta. Estas plataformas operam tanto no oceano como no espaço, ligadas através de uma rede de comunicação que recolhe, processa e dissemina dados.

Os objetivos do AEROS incluem:

  • Desenvolver e lançar para órbita um novo nanossatélite como precursor de uma futura constelação de análise do oceano.
  • Desenvolver uma câmara híper-espectral miniaturizada para previsão das frentes oceânicas e localização da fauna.
  • Desenvolver módulos de “Software Defined Radio” para suportar operações de conectividade e rede com veículos autónomos e “tags” biológicos.
  • Acoplar uma câmara RGB para melhor posicionamento da imagem retirada pela câmara híper-espectral.
  • Desenvolver um Centro de Análise de Dados para processar e analisar os dados adquiridos.
  • Avançar no conhecimento científico e desenvolvimento de novos produtos.

O AEROS MH-1 é um CubeSat 3U que opera numa órbita síncrona ao Sol a aproximadamente 510 km de altura, visando a região atlântica portuguesa. Este satélite inclui uma câmara Hyperespectral miniaturizada de alta resolução, uma câmara RGB de 5 Megapixéis e um rádio definido por software para o protocolo Argos e LoRa, facilitando o avanço do conhecimento científico e tecnológico português. O lançamento do AEROS foi realizado a 4 de março de 2024 na base espacial de Vandenberg pela SpaceX no Transporter 10, recorrendo a um lançador Falcon 9.

Um projeto cofinanciado pelo COMPETE 2020

O investimento elegível deste projeto é de 2,2 milhões de euros, o que resultou num incentivo FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional de 1,5 milhões de euros.

Website do projeto AEROS Constellation

Última atualização a 20 de Maio 2024

Artigos relacionados

11 de Junho 2024 Notícias

APIMA fortalece internacionalização da Fileira Casa Portuguesa

A Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins está a apostar numa nova operação de “Internacionalização da Fileira Casa Portuguesa”, cofinanciada pelo COMPETE 2030, para apoiar as empresas da Fileira Casa a ganharem relevo e expansão internacional.

A carregar...